segunda-feira, 16 de agosto de 2010

IMPULSO


Vira e mexe ,Clarice Lispector volta a rondar minha vida.Sinto uma louca necessidade de ler Clarice,devorá-la,tentar entendê-la.É como se através dela fosse feita uma ponte até mim....o mais profundo de mim..... Escolhi para postar hoje um texto que tenho lido bastante ,e que me traduz bastante.....Para acompanhar Clarice,minha diva Billie Holiday,com a igualmente bela Lover man. Espero que apreciem....Logo,logo volto :)

O IMPULSO

Sou o que se chama de pessoa impulsiva. Como descrever? Acho que assim: vem-me uma idéia ou um sentimento e eu, em vez de refletir sobre o que me veio, ajo quase que imediatamente. O resultado tem sido meio a meio: às vezes acontece que agi sob uma intuição dessas que não falham, às vezes erro completamente, o que prova que não se tratava de intuição, mas de simples infantilidade.
Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos. E até que ponto posso controlá-los. Há um perigo:se reflito demais,deixo de agir.E muitas vezes prova-se depois que eu deveria ter agido.Estou num impasse.Quero melhorar e não sei como.Sob o impacto de um impluso,já fiz bem a algumas pessoas.E,às vezes ,ter sido implusiva me machuca muito.E mais: nem sempre os impulsos são de boa origem.Vêm,por exemplo,da cólera.Essa cólera às vezesdeveria ser desprezada;outras,como me disse uma amiga a meu espeito,são cólera sagrada.As vezes minha bondade é fraqueza,as vezes ela é benéfica a alguém ou a mim mesma.As vezes restringir o implulso me anula e me deprime;as vezes restringi-lo dá-me uma sensação de força interna. Que farei então?Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei. Clarice Lispector

16 comentários:

AC disse...

Agir sob impulso acarreta riscos: às vezes a coisa sai bem, outras sai péssima. Tem a seu favor a autenticidade, mas nunca se sai do mesmo. Há então, que percorrer a via do conhecimento, em que a pessoa é levada a ultrapassar os seus obstáculos. mas esse é o caminho de uma vida, não tem resultados imediatos.

Beijo :)

Manuela Freitas disse...

Olá querida Joyce,
Viver é andar na corda bamba, às vezes acerta-se outras vezes nem tanto. Viver por impulsos é ser mais autêntica, se pensares não quer dizer que sejas mais certeira, até como diz Clarice, por vezes o pensar, leva a não agir!...
Eu agora estou numa, que se adapta a este pensamento, de uma grande escritora portuguesa: "Eu não me levo muito a sério. É a melhor maneira de viver. Aquele que se leva a sério está sempre numa situação de inferioridade perante a vida." (Agustina Bessa-Luís)O Mais importante é viver!...
Coincidência minha querida na MUSA, escepcional!...
Muitos beijinhos no teu coração,
Manú

adilson hilário disse...

palavras....palavras..há horas que não se podem fugir delas e há horas que só se foge ao aceitá-las...Autoreconhecimento é redescobrir-se e se encontrar em meio às palavras alheias é saber que não somos único e que nossas alegrias e nossas tristezas serão sempre universaism e eternas

tossan disse...

Adorei o teu impulso, nunca cresça toda. Gostei muito de ouvir Billie Holiday. Se o jazz pode ser bem cantado foi por causa dela. Eu também viu? Beijo moça.

Lou Albergaria disse...

Bárbaro post, Joyce!!!

Clarice é sempre uma aula de humanidade! Aprecio demais suas ideias, angústias e temeridades, pois é o que nos torna verdadeiramente humanos.

Estava sentindo falta de seus posts tão belos. É que canção! Creio que já foi maestro em alguma outra encaranação ou então um cantor ou cantora de jazz ou blues...não é possível o seu bom gosto para a música.

Lindíssimas tuas escolhas!!!

Super beijo!!!

Os Selos ficaram lindos em seu espaço! Amei!!!

brnoliver disse...

Bela comparação, achei interessante, mas como foi dito agir por impusso tem seus riscos e algumas vezes resultados rapidos, gostei do espirito de juventude que mostra no final, porque as vezes as crianças que falam aquilo que realmente importa. Ela realmente mostrou o que todo mundo precisa de um pouco hoje em dia.

Livinha disse...

Minha querida,
Os resultados que obtens diante de teus impulsos, é o que retrata ter sido um erro ou acerto.
Maduridade não é deixar de ser jovem, ou de ter contido a tua criança, mas pensar antes de agir, pesando os p´ros e os contras, buscar compreender para tirar tuas conclusões as mais absurdas que te possam parecer, as vezes não são as verdadeiras razões que te levam a reagir.
Entenda, pensar é agir. Reagir é a falta do pensar, é a impulsividade que sai atropelando quem quer que esteja na frente e fazendo-nos cometer atitudes erradas, a ponto de nos fazer sentir-se arrependidos depois.
Sois uma menina que admiro muito. Pensativa, amiga e companheira. Precisa apenas sentir-se segura pela linda pessoa que és.

Linda tua postagem e tuas letras.

Bjs

Livinha

Viviane Moraes disse...

Agir por impulso ás vezes parece trucial, e pode até prejudicar e acontece outras coisitas mais.
Mas agir assim é pra bom do que pra pior..

Saudade *-------*

Bjs.

Cecília disse...

Impulsos são causadores de movimento, tardios ou não, tudo nasce deles. E quanto a maturidade, ninguem que se considere maduro demais consegue sê-lo.

Clarice é brilhante até quando tenta ser simples. Um encanto.

Filipe disse...

É melhor agir por impulso e fazer o que der vontade do que se arrepender depois de nao ter feito o que queria....
Beijos querida!!

Luigi disse...

Clarice é genial porque ela deixa aberta a questão, ao invés de responder ela prefere abrir novas perguntas e assim cada um pode fazer o que quiser...Gostei muito do texto que já havia lido. Amo Clarice...e ela com Billie fica ainda mais charmosa. Beijos!!!

C@urosa disse...

Olá minha cara amiga Joyce, o impulso é o que move o ser. A imortal Clarice foi uma mulher genial e impulsiva. A Billie, apesar dos pesares, também. Belo texto. Adorei.

forte abraço

C@urosa

Bia Pessoa disse...

Sou apaixonada por Clarice...tonto aquele que não.

No meu caso penso até demais, antes de agir..Já perdi aquele ar de criança impulsiva a muito.

Será que um dia o tive?


Grande abraço,

Bia

Francisco disse...

Impulsos são fundamentais. Pelo menos na minha vida, sempre foram...!

Clarice e Billie Holiday. Pode haver bom gosto maior? Parabéns, minha amiga linda!

Saudades daqui...

Beijo.

Improvisos de um louco disse...

olá, joyce, brigado pelo carinho, da visita lá no improvisos de um louco... e agora, já que conheço este espaço, voltarei sempre...

bjs

ramza disse...

Gata, demorei para comentar, mas cá estou! e posso lhe dizer que eu adorei o seu Blog, excelentes postagens, tudo com muita classe e muito bom gosto! Parabens!!! e agora eu sempre vou comentar o seu blog!
Beijos.

"Nem tudo que queima é febre."