quinta-feira, 22 de julho de 2010

A COR PÚRPURA




Ainda com aquela minha crise de inspiração que venho enfrentando há mais de um mês,olhei minha velha prateleira de dvd's e encontrei um filme no mínimo inspirador,e por isso resolvi então falar dele para vocês.

A cor púrpura, de 1985, foi o primeiro filme de Steven Spielberg pelo qual me apaixonei verdadeiramente.Antes desse filme ,Steven já havia lançado clássicos como Poltergeist, Contatos imediatos do terceiro grau,Tubarão e E.T, mas acho que neste filme ele deixou um pouco de lado a fantasia e os efeitos especiais e fez um filme com os dois pés na realidade...nos dramas de verdade,os quais qualquer um pode passar.

A história se passa na Geórgia entre 1906 até a década de 40 e gira em torno da personagem Celie ,que ainda na adolescência é violentada pelo pai,com quem tem duas crianças.Além de ficar estéril ,Célie é separada dos filhos logo no nascimento , além de também se separar de sua irmã Nettie, única pessoa que a ama verdadeiramente. Célie é doada ,sim,DOADA a Mister,um fazendeiro viúvo amargo,autoritário e cheio de filhos,que a trata ao mesmo tempo como companheira e escrava,na maior parte do tempo.Muito do amargor de Mister (interpretado magnificamente por Danny Glover),vem da paixão que ele nutre por Shug Avery,uma voluptuosa cantora de blues,que no decorrer do filme desenvolve com Celie uma amizade muito forte. Com o passar dos anos,desde a separação de Nettie,Celie que já é muito calada vai ficando cada vez mais solitária...e ela expõe essa solidão em cartas destinadas a Deus e a irmã,que é missionária na África.Á medida que sua amizade com Shug vai aumentando , Celie vai ganhando forças e tendo dimensão de quem é,da importância que tem,e isso é crucial para que ela adquira coragem para se livrar das humilhações que sofre ao lado de Mister e aprender que apesar de ‘’feia,preta e pobre’’(palavras de Mister em relação a Celie),ela está viva,e isso basta para se ter esperança.

Um filme que retrata a crueldade humana,assim como a solidão e o preconceito-tanto de sexo,como de cor, mas muito além disso,Spilberg mostrou neste filme valores como a amizade, a gratidão,o respeito e o perdão....pois como disse Shug numa das cenas mais tocantes do filme ‘’até os pecadores tem uma alma’’.É necessário ressaltar aqui que o coração do filme é sim a personagem Celie que foi a estreia de Whoopi Goldberg nos cinemas.Ela,até então uma desconhecida atriz de teatro ,soube fazer uma Celie totalmente transparente em suas emoções: tanto em sua solidão,quanto em seu sorriso ...tão inocente e puro que chega a ser infantil.Melhor estreia,impossível.Vale destacar também as atuações de Danny Glover,e prestar atenção na mudança que ocorre no personagem Mister,que apesar de tanta brutalidade,no fim do filme mostra que também tem humanidade...e também na personagem Sofia,esposa de Harpo,um dos filhos de Mister,que é interpretada magnificamente por Opra Winfrey (ela mesma,a Oprah).

Sem contar que a trilha sonora (que colabora muitíssimo para a emoção da história) é de Quincy Jones,então posso dizer que é impecável!

A cor púrpura é uma história humana, com pessoas de verdade...sem efeitos pirotécnicos e naves espaciais (nada contra) ,um filme que vale a pena ser visto ,pois emociona e mexe com os corações de quem assiste.

O filme recebeu 11 indicações ao Oscar mas infelizmente não levou nenhum.Concorreu inclusive com melhor canção original,e é com esta canção ''miss Celie's blues '' que encerro,emocionada ,esta minha postagem...uma das cenas mais bonitas do filme...espero que quem já viu,relembre...e quem não viu veja...VALE A PENA!


beijos a tooodos!!




16 comentários:

Filipe disse...

Nossa muito bom esse filme, a historia eh tao forte mas tipo que emociona da vontade de chorar e tals (nao que eu tenha chorado)kkk
Ai lindo já quero ver d novo na TCM hahah
Beijos!

Cecília disse...

Ai, sabe do que eu lembro? Da tia Rose.. comprou o DVD toda feliz.. fez maior propaganda do filme e ela só tinha assistido metade (não sabia que o dvd era dupla face) hauhauhua

Rico Salles disse...

Puxa, estou me devendo ver este filme faz anos, figura na minha lista de filmes para assistir mas o acaso não deixou ainda. Vou tentar não deixar passar do final de semana, vamos ver. E como sempre, ótimo gosto para filmes, segundo minha opinião que não sei quanto vale, claro. Adoro suas visitas. Bj!

APO (Bem-Trapilho) disse...

li o livro há muitos anos. uma história tocante!
bjos

Livinha disse...

Fizeste lindíssima escolha minha deusa da alegria.
Me recordo um pouco do filme, mas tua esplanação reascendeu as luzes de Livinha, apagadinhas coitadas rsrss

A canção tbém mexe com a gente.
vermelho a cor da vida
mais da morte nunca...
Que pena quando deu fez as rosas
e deu a elas esta cor tbém...
O que o mundo talvez não entenda que o vermelho é existência e sem porques de tirar a vida de alguém...

Bela postagem minha linda
adorei!

Bjs

Luigi disse...

Muito bonito seu post sobre o meu filme preferido do Spilberg. Consegui recuperar várias imagens do filme, pois o vi há bastante tempo. Deu vontade de rever. Bela história de luta e resistência por dignidade. Abraço!!!!

Cristiano Contreiras disse...

Um marco emocional do bom cinema proposto por Spielberg, de fato ele merecia ali o oscar na direção - Whoopy tem uma atuação intensa...este filme é cheio de simbolismos, frases intensas e situações marcantes...

Bom texto o teu! Ótimo lembrar deste aqui!

beijo e poste mais sobre cinema!

tossan disse...

Adoro esse tipo de filme por causa do blues e da cor. Gostei também de Bagdá Café...fale dele. É só uma pedidinho. Beijo

nas entrelínguas disse...

Parece interessante o filme...

Mas, quanto à você, "crise de inspiração" ?! Não creio! Sabe, acho que inspiração a gente tem, o que acontece é que por vezes não conseguimos externá-la, transformá-la, nos falta a catarse... Andei um tempinho sem conseguir escrever nada, a gente espera e parece que a inspiração não vem. Então há de tomar uma medida drástica: se obrigue à escrever. Imponha o pulso ao papel e arranque as frases que estão aí resguardadas! Quase sempre funciona =)
Abração!

Viviane Moraes disse...

Bom vale a pena assistir (que não caso não vi)...
Blues é um estilo de musica infelismente desconhecida no mundo atual..

Bjs.

Manuela Santos disse...

Olá querida Joyce,
Também gostei muito deste filme e tb o tenho. É impossível não me comover, porque aborda questões muito importantes, como tão bem referes.
Adoro essa música.
Eu parece-me que vi todos os filmes de Spilberg, este é um dos preferidos, mas tb. Lista de Schlinder e Regresso do Soldado Ryan.
Beijinhos para ti e desejos de inspiração.
beijinhos,
manuela

ONG ALERTA disse...

Este filme é ótimo, paz.
Beijo Lisette

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Hoje estou passando para agradecer
a sua amizade.
Amizade que torna a vida preciosa.
Que enche de cores as minhas palavras.
Que me faz ainda mais feliz,
com o afeto distribuído
a cada visita,
a cada comentário
e a cada palavra escrita
no livro dos meus dias.

Sua amizade me faz melhor.

O mundo de Alline disse...

Nossa que história!!
Vc atiçou minha vontade de ver o filme! volto depois pra dar minha opnião...bjs

Bruno Ribeiro disse...

oi,
também tenho meu blog: http://brunos-big.blogspot.com ,
e geralmente coloco coisas que eu acho bacana.
Dando uma "voltinha" na Net e encontrei seu blog.
Parabéns seus textos são maravilhosos.especialmente esse q acabei de ver. Na verdade "A cor púrpura" é o melhor filme q já vi, pelo mix de tematicas e inspiração tanto do roteirista, do diretor e principalmente dos atores que atuaram como poucos...

Assisti o filme, postei no meu blog, li o seu post e te parabeniso, pois é muito dificil encontrar pessoas que compartilhem da mesma opnião, sensação e sobretudo sentimento.
Parabéns!!!

J. BRUNO disse...

Confesso! Chorei mesmo!

É belíssima uma sequência em a Shug conforta e dá forças para Celie, é maravilhoso perceber que em algumas situações a força vem de onde menos se espera... A cene em que Shug chega cantando na igreja, enfrentando a rejeição e o preconceito de sua pai, também fantástica! Filme perfeito!
.
Shug - mais que tudo Deus adora ser adimirado
Celie - Então Deus é vaidoso
Shug - Vaidoso? Não, só quer compartilhar o que é bom. Deus deve ficar furioso quando alguém passa pela COR PÚRPURA nos campos e nem se dá conta...
.
[anotei o trecho acima em meu diário quando assisti o filme pela primeira vez em 17/02/2008]